29/10/2021  |  Conteúdo Gratuito

Como escolher erradamente um benefício fiscal pode prejudicar sua empresa?

Todos sabemos que uma política de redução de custos em operação de importação passa necessariamente por uma estratégia bem definida e planejada com maestria da implantação de um dos inúmeros benefícios fiscais oferecidos atualmente no país.

Muitas empresas no afã de obterem ganhos altos e com certa facilidade, abrem mão da segurança e de um planejamento mais profissionalizado de suas operações.

Todos sabemos que no Brasil existem milhões de normas válidas e milhares sendo criadas todos os dias.

Não se enganem, por trás de uma aparente simplicidade no uso dos benefícios físcais, a sua implantação e uso exigem procedimentos e decisões extremamente complexas.

Muitas empresas preferem entrar em uma roleta russa, esperando nunca serem fiscalizadas ou simplesmente seguirem uma receita de bolo utilizada por outras empresas, mesmo que tais referências sejam de negócios ou produtos completamente diferentes.

Em minha vida já presenciei várias situações: empresas que fazem operações proibidas, empresas que não seguem as normas administrativas, empresas que usam como referência legislação de outro estado, empresas que não consultam ninguém de simplesmente fazem o que lhes dá na telha, etc.

Estes procedimentos, que podem parecer simples para muitos, guardam uma armadilha: podem gerar prejuízos na casa dos milhões e significar aos empresários desde uma dor de cabeça até o fechamento definitivo da empresa.

Infelizmente, no Brasil empresários não gostam de investir em planejamento, achando e confiando com todas as forças que tudo vai dar certo. Infelizmente, não é assim que as coisas funcionam.

Pode ter certeza que um dos mais importantes investimentos antes dos lucros é o planejamento de sua estratégia de benefícios fiscais.

Quando se contrata um profissional que lida especificamente com benefícios fiscais analisa sua empresa irá verificar os seguintes itens iniciais: a) o tipo regime tributário; b) o desenho de operação; c) o tipo de mercadoria; d) a logística envolvida; e) os ganhos presentes e futuros; f) as obrigações contábeis; g) as obrigações fiscais; h) os riscos envolvidos; i) os ganhos futuros; j) as melhores práticas; k) a estrutura operacional necessária; etc.

Não é só isso!!!! Existem inúmeros outros fatores a serem pesados e avaliados que apenas uma análise profunda, estruturada, racional e técnica pode oferecer.

Empresas profissionais, agem como profissionais.

As amadoras, infelizmente, são as que estão nas estatísticas como as que quebram no primeiro, segundo ou até no quinto ano.

O que você deseja para sua empresa? Essa é uma pergunta muito importante! Pois atualmente com todos os sistemas digitais e interligados, cada vez menos se tem espaço para o amadorismo.

Não veja a etapa de planejamento como despesa, mas um importantíssimo investimento que será um divisor de águas para o futuro estável e seguro da sua empresa.

Mas é importante destacar uma coisa: no Brasil, nada é 100% seguro na seara do comércio exterior ou na seara tributária. Mas até nisso uma consultoria em benefícios fiscais pode ajudar. Pois irá lhe dar todos os subsídios legais para se defender e proteger sua empresa de arbitrariedades.

Como se sabe, no mundo dos negócios não existe investimento sem riscos, mas conhecer os riscos, contorná-los e se preparar para eles é responsabilidade do gestor da empresa. Pois será em suas mãos que estarão os louros da vitória ou o fel da derrota em caso de erros de decisão estratégica.